Quem foi Elmer Letterman?

Quem foi Elmer Letterman?

Ele criou a icônica “boas vindas” no Havaí com um belo colar de flores. Ele pagou centenas de parquímetros nos Estados Unidos. E tudo isso fez dele o maior vendedor de seguros de todos os tempos.

 

Elmer foi o precursor na arte de vender seguros omitindo a palavra morte ao oferecê-los. Sabia que um empático profissional em vendas encontraria muitos argumentos, além do medo, para conquistar clientes. E está certo, porque a maioria das pessoas não aceita sequer escutar aos vendedores de seguros de vida, pois de alguma forma implica falar das possibilidades de uma desgraça. Quando Elmer começou no mundo das vendas, achava que primeiro devia servir antes de vender e assim conseguiria clientes: ia-se a caminhar pelas ruas nas quais tinha automóveis estacionados. Detectava os que estavam a ponto de esgotar o tempo de pagamento no parquímetro, depositava-lhes o valor para renovar o tempo e lhes deixava um cartão de apresentação na qual explicava o que tinha feito.

“primeiro devia servir antes de vender e assim conseguiria clientes”

Regressava a seu escritório e esperava o telefonema do motorista agradecendo sua ação. Conversavam durante vários minutos, como vizinhos amáveis. Sempre chegava o ponto no qual lhe perguntavam a que se dedicava. Então Elmer se dispunha a explicar- lhes o mais interessante de seu produto, que eram os benefícios até conseguir que a pessoa lhe convidara para visitar-lhe e continuar a conversa. E assim realizava várias vendas. Elmer sempre se preocupou por fazer sentir, a cada cliente, que era dono de sua agenda. Ainda que era um profissional muito ocupado, sempre sabia negociar com sutileza, as horas e dias de encontro (ARTIGO: A RE- NEGOCIAÇÃO DE PREÇOS COM OS COMPRADORES).

Quando Elmer juntou uma fortuna e vivia num bairro residencial na Califórnia, usou outra estratégia: o único acesso de carro para chegar a sua casa tinha um pedágio. Elmer sempre estava atento ao cruzar o pedágio, de fazê-lo na frente de um carro que lhe inspira-se “confiança para investir”, Elmer pagava por seu bilhete e o do próximo carro, e pedia para entregar o seu cartão de visitas para o motorista felizardo. Alguns dias depois, Elmer recebia um telefonema de agradecimento, e uma esperança concreta para realização de futuros negócios.

“uma esperança concreta para realização de futuros negócios”

Com essa tática somou muitos clientes a sua carteira e vendeu um suculento seguro de vida ao senador Helms, um dois homens mais influentes nessa época no Governo Estadunidense. Quando Elmer teve que se retirar por prescrição médica, devido a suas afecções cardíacas, foi viver no Hawaii. Nos berços desse lugar passou vários dias, até que se deu conta que não tinha quem desse informação aos turistas… Propôs-se para essa tarefa e foi, novamente, pioneiro ao instaurar a entrega de colares de flores aos recém chegados. Tratava-os cordialmente em sua estadia e eles o consideravam um velho conhecido, que distribuía seus cartões de apresentação e aprovfeita-se para continuar vendendo seguros (ARTIGO: NÃO VENDA FILE, VENDA O AROMA DA CARNE ASSANDO).

“pioneiro ao instaurar a entrega de colares de flores aos recém chegados”

Elmer Letterman viveu longos anos e nunca cessou seu trabalho de vendas. Foi um triunfador nato, um ícone no âmbito dos profissionais em vendas. Depois de mais de 50 anos, ainda se considera a Elmer G. Letterman o melhor vendedor de seguros de vida nos EUA e um dos 12 maiores profissionais em vendas mundiais. Se lhe recorda como um empreendedor de primeira, pioneiro em vários esquemas de marketing que ainda hoje dão frutos. Em sua autobiografia ” Showmanship das Vendas”, afirma que para ter sucesso em qualquer empreendimento, o fundamental é amá-lo. E querê-lo como o mais importante da nossa vida. Isso que nos fará ser originais e oferecer o melhor de nós para os demais.

 

FONTE DE PESQUISA: David Luckas

 

 

Compartilhe...

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *