Negociando com neurolinguística

Negociando com neurolinguística

A linguagem corporal numa negociação:

 

Olhar para os lados.

A abordagem deve ser feita somente quando o cliente demonstrar que quer ajuda. O gesto mais comum que evidencia isso é quando o cliente olha para os lados, demonstrando que está procurando algo.

 

Cumprimentos.

Mulheres devem ser cumprimentadas, preferencialmente, de frente. Já para os homens, essa posição significa desafio — para eles, a melhor abordagem é feita pela lateral, postura que, por sua vez, gera desconfiança nas mulheres.

 

Espelhamento.

Para criar diálogo e relação de confiança com o cliente, a recomendação é fazer o “espelhamento”, ou seja, imitar o comportamento do cliente de forma sutil. Por exemplo: se o cliente sentar, o vendedor pode se sentar também, para criar mais intimidade e deixá-lo mais à vontade. Essa atitude faz com que ele se sinta reconhecido no vendedor.

 

Fala rápida ou devagar.

Siga o modelo de voz e a velocidade de fala do seu cliente: se ele fala rápido, o vendedor deve falar rápido também, se fala devagar, desacelere. Depois, o vendedor pode alternar com o modelo que deseja para conseguir liderar o jogo de falas e, assim, influenciá-lo.

 

Eco inteligente.

Use a técnica do “eco inteligente”, que consiste na utilização de palavras idênticas às do cliente, seguindo a mesma ordem, mas acrescentando algumas opiniões pessoais logo em seguida. Mas é preciso tomar cuidado para não fazer as repetições de forma óbvia.

 

Pupilas.

A pupila se dilata quando há interesse ou excitação, então o vendedor deve ficar atento à expressão do olhar do cliente. Em casos de estado de espírito zangado ou negativo, a pupila se contrai no chamado “olhar fulminante”.

 

Pernas e braços cruzados.

Pernas afastadas ou descruzadas mostram atitudes abertas e dominantes, enquanto pernas e braços cruzados revelam o contrário: atitudes fechadas e inseguras. Um bom vendedor não deve contrair o corpo durante uma apresentação ou uma venda, e também deve prestar atenção na postura do cliente.

 

Cafezinho.

Fazer com que a pessoa descruze as pernas e braços facilita a aceitação pela sua ideia. Uma boa ideia é oferecer um café ou uma água para o cliente, pois, assim, com um copo na mão, será induzido a ficar em uma posição menos defensiva.

 

Sorrisos.

Quando você sorri para outra pessoa, ela quase sempre lhe retribui o sorriso. Devido à lei de causa e efeito, esta troca gera sentimentos positivos recíprocos. Durante uma venda, o vendedor nunca deve deixar de sorri, porque isso estreita o relacionamento com o cliente.

 

Pés-de-galinha.

Os sorrisos mais sinceros são aqueles que criam “pés-de-galinha” ao redor dos olhos. Levantamento e marcação das bochechas é outro sinal de sorriso verdadeiro. Fique atento tanto para saber os reais sentimentos do clientes como para não demonstrar falsidade.

 

Compartilhe...

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *